Segunda-feira, 25 de Abril de 2011

25 mil soldados japoneses começam a procurar corpos no Japão

São 12 mil desaparecidos e andam 25 mil soldados à procura deles. A terceira e maior operação de resgate de corpos desde o sismo e maremoto de 11 de Março no Japão, começou hoje.
Receia-se que a maior parte dos desaparecidos tenha sido arrastada para o mar alto
Receia-se que a maior parte dos desaparecidos tenha sido arrastada para o mar alto (Toru Hanai/Reuters)

 

Nas duas anteriores operações de busca, que como esta está a ser realizada por militares, foram resgatados à lama e aos escombros 438 corpos. O grande receio é que a maioria dos desaparecidos tenham sido arrastada para o mar alto e que nunca sejam recuperados.

Dados revelados hoje indicam que a onda do maremoto atingiu mais de 300 metros de altura.

Na cidade de Shichigahamamachi, o jornalista da AP viu uma fileira de soldados a avançar devagarinho perante as toneladas de escombros e lama. Munidos de varas finas, tacteiam o terreno à procura de restos mortais. Ao lado, outro grupo de soldados tinha a missão de recolher o lixo.

A polícia, a guarda costeira e soldados americanos estão também a participar na operação que, segundo a rádio japonesa NHK, cobre toda a linha costeira das perfeituras de Iwate, Miyagi e Fukushima, assim como uma vasta área de mar.

Neste momento, o número de mortos é de 14,340.

As autoridades ordenaram a evacuação de cinco áreas situados a até 40 km da central nuclear de Fukushima, danificada e a emitir elevados níveis de radiação. O primeiro-ministro, Naoto Kan, revelou hoje que a população que se retirou de um raio de 20 km poderá ter acesso às suas residências por um período de até cinco horas para procurar e recolher os seus bens. Estas visitas controladas serão realizadas a partir do início de Maio - 26 mil japoneses ou ficaram sem habitação devido ao sismo e maremoto, ou tiveram que as abandonar devido às radiações.

O primeiro-ministro defendeu também a sua resposta à crise nuclear e disse que não houve "erro" na gestão da situação por parte do Governo.

Crise política

Esta é a principal crítica da oposição, a par da forma lenta como o Executivo reagiu ao desastre natural de 11 de Março. Os índices de popularidade de Naoto Kan estão muito baixos e o seu Partido Democrático acaba de perder um lugar no parlamento em sequência da derrota numas eleições locais.

Porém, dificilmente se assistirá a uma demissão e à marcação de eleições antecipadas, diziam ontem os analistas, reconhecendo que o isolamento do primeiro-ministro é grande num momento em que necessitaria de um parlamento unido. Os prejuízos de 11 de Março são de 300 mil milões de dólares e não será fácil a Naoto Kan encontrar financiamento num momento em que a dívida pública japonesa é de cinco triliões de dólares.

publicado por mixkids às 18:00
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
18
19
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Mondo Tv compra Gaumont F...

. [Notícia] Anipop Matsuri ...

. [Noticia] Estreias na Sic...

. CLAMP anuncia final de Ko...

. Scan2Go

. Novidades DVD da Semana d...

. barraca na estreia de Ful...

. Guia de Livrarias Manga

. bleach na radical finalme...

. [Noticia] ANICOMICS LISBO...

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.tags

. todas as tags

.links

.contador

Restaurantes
Contador de acesso e visitas
blogs SAPO

.subscrever feeds